Em Oficina, Saúde reforça cuidados para prevenção da hepatite B

92

 

Profissionais são capacitados para prevenção a hepatite B - Valdo França (46)

Para agregar conhecimento aos profissionais no que diz respeito à legislação sanitária e exigências legais para garantir ao profissional e clientes segurança e qualidade nos serviços, focando na prevenção da hepatite B, a Secretaria de Estado da Saúde está realizando a 1ª Oficina de Biossegurança e Prevenção das Hepatites Virais. A ação tem como público-alvo profissionais de Salões de Beleza e Estética, tatuadores, barbeiros e profissionais que colocam piercing.

O evento, que acontece na tarde desta segunda-feira, 20, em Palmas, reúne estudantes e profissionais que já atuam na área e foi idealizado a partir de estatísticas. “A gente observa os dados e fica a preocupação principalmente quanto à forma de contração da doença, pois apesar de sabermos que a maioria dos casos são contraídos durante a relação sexual, muitas pessoas nem sabem como se infectaram”, afirmou a assessora da Gerência de DST/Aids e Hepatites Virais, Viviane Alves Araújo, acrescentando que existem no Estado mais de 400 casos de hepatite B confirmados e mais de 2 milhões de pessoas infectadas em todo o mundo.

Os presentes na oficina estão tendo acesso a informações sobre as formas de prevenção da doença através das três doses de vacina oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS); cuidados com o manuseio de equipamentos de trabalho e a esterilização de materiais a serem usados em clientes. “A gente procurou trazer todas as informações necessárias, por isso aqui temos profissionais das gerências de Imunização, Saúde do Trabalhador e Vigilância Sanitária do Estado”, acrescentou Viviane.

A enfermeira da Vigilância Sanitária Estadual, Fabíola Alvim, falou sobre os cuidados com os equipamentos utilizados nos ambientes. “Os cuidados de esterilização começam pelas mãos dos profissionais, passam pelos equipamentos de segurança que devem ser utilizados de acordo com seu ramo de trabalho, até as ferramentas usadas para atender os clientes. Cada aparelho tem sua forma de esterilizar e precisa ser bem feita para que toda matéria orgânica seja eliminada e assim, se evite a contaminação”, destacou.

Aluno no curso de barbearia, Diego Sussumu Kawamouta, ainda não atua na área, mas considera de extrema importância saber proceder com a higienização dos equipamentos. “Pode acontecer de não fazer a higienização correta de instrumentos cortantes como navalha e tesoura e hoje temos a oportunidade de ver isso, focado especificamente para esta doença tão perigosa”, disse.

Hepatite B

Segundo o Ministério da Saúde, a hepatite B é causada pelo vírus B (HBV) e é uma doença infecciosa também chamada de soro-homóloga. Como o VHB está presente no sangue, no esperma e no leite materno, a hepatite B é considerada uma doença sexualmente transmissível. Entre as causas de transmissão estão: relações sexuais sem camisinha com uma pessoa infectada; da mãe infectada para o filho durante a gestação, o parto ou a amamentação; ao compartilhar material para uso de drogas (seringas, agulhas, cachimbos), de higiene pessoal (lâminas de barbear e depilar, escovas de dente, alicates de unha ou outros objetos que furam ou cortam) ou de confecção de tatuagem e colocação de piercings e por  transfusão de sangue contaminado.

A maioria dos casos de hepatite B não apresentam sintomas e o tratamento para a doença é feito gratuitamente pelo SUS.

Sua opinião é muito importante: