Halum defende liberação do empréstimo de R$ 600 milhões ao Estado

61
Cesar Halum
O deputado federal César Halum (PRB) defendeu nesta segunda-feira, 26, a liberação pela Assembleia Legislativa do empréstimo de R$ 600 milhões que o governo do Estado pleiteia junto ao Banco Mundial.

O financiamento prevê a realização de várias obras importantes de infraestrutura em todas as regiões do Tocantins e está sendo considerada como o principal motor para o desenvolvimento regional do estado.

“O Estado do Tocantins sempre se desenvolveu com recurso provenientes de financiamentos internacionais. Foi assim que construímos mais de 6 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, quase mil pontes, que implantamos a estrutura administrativa do Tocantins. Agora se você for esperar juntar o dinheiro para comprar à vista ou fazer uma obra, você não faz”, disse Halum ao Tocantins 247. “O Estado financia sua obras e com a atividade econômica desenvolvida em função dessas obras, ele aumenta a arrecadação e paga o empréstimo”, acrescentou o deputado.

O projeto de autorização do financiamento do Banco Mundial encontra-se parado na Assembleia Legislativa. O presidente da Casa de Leis, Mauro Carlesse (PHS), solicitou ao governo mais informações sobre a destinação dos recursos. O presidente da Comissão de Constituição, Justiça da Assembleia, Olinto Neto (PSDB), que faz oposição ao governo, tem sido um dos mais atuantes na defesa de mais informações pelo governo, o que, segundo o Palácio Araguaia, tem o objetivo de atrasar a liberação dos recursos.

O deputado César Halum defendeu que o projeto do governo para o financiamento, que obteve autorização da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), já vem sendo trabalhado há mais de dois anos. “Houve audiências públicas, reuniões de planejamento com secretariado e representantes de municípios, para se estabelecer quais eram as prioridades do estado para colocar neste projeto. Assim, este projeto prevê, por exemplo, a construção do Hospital de Gurupi, a conclusão do Hospital Geral de Palmas, para pagar a contrapartida da ponte sobre o rio Tocantins em Porto Nacional, para duplicar a TO-222, que liga Araguaína ao povoado de Novo Horizonte, importante trecho de expansão da cidade de Araguaína. Isso já foi aprovado no Banco Mundial. Se for mexer no objeto, vai ter voltar ao começo do processo para ver se o Banco Mundial aprova de novo. Serão mais dois ou três anos e o estado passou da hora e o estado perdeu tempo para o seu desenvolvimento”, disse Halum.

O parlamentar federal também aproveitou para pedir aos deputados estaduais que ponderem os interesses do estado acima dos interesses políticos. “O fato de alguém ser oposição ao governador é natural e legítimo. Façam oposição ao governador, mas não façam oposição ao estado”, disse César Halum.

Sua opinião é muito importante: