Defensoria Pública debate igualdade racial com estudantes

80

IMG_4883 SITE

“Às vezes a gente anda na rua à noite, vê um homem negro no ponto de ônibus e
fica com medo. Acredito que aí já estamos sendo preconceituosos sem perceber.”
A reflexão de uma estudante de 14 anos do Instituto Presbiteriano de Palmas
foi exposta na manhã desta quarta-feira, 28, na palestra e roda de conversa
sobre Igualdade Racial da DPE-TO – Defensoria Pública do Estado do Tocantins.
A programação integra o projeto “Defensores da Cidadania”, do NDDH – Núcleo de
Defesa dos Direitos Humanos, que vai levar palestras e rodas de conversa sobre
diferentes temas às unidades escolares.

A atividade foi coordenada pela defensora pública Maurina Jácome Santana,
coordenadora interina do NDDH, que ministrou palestra juntamente com a
analista jurídica do Núcleo, Liz Marina Regis Ribeiro, para cerca de 150
alunos, de 11 a 15 anos, de turmas do 8º e 9º ano do Instituto Presbiteriano
de Palmas. De acordo com a Defensora Pública, o objetivo é contribuir para a
promoção de direitos humanos à juventude.

Temáticas como preconceito, racismo, identidade visual, injúria qualificada,
cultura e religiões afrodescendentes, políticas públicas, leis para promoção
de igualdade racial foram debatidos com foco no conceito, situações
cotidianas, as formas de prevenção e enfrentamento. “Quando a gente privilegia
uma determinada raça, cor da pele ou tipo de cabelo em detrimento de outra já
estamos contribuindo com diversas formas de preconceito, de racismo e
consequentemente com a desigualdade racial”, disse a defensora pública Maurina
Jácome Santana.

Após as palestras, as turmas se dividiram para rodas de conversa, onde os
alunos puderam expor as suas ideias e debatê-las com a equipe do NDDH. “A
ideia é que daqui para frente vocês possam reproduzir uma visão diferente, que
promova a igualdade racial”, complementou Liz Marina.

Projeto
O projeto “Defensores da Cidadania” é uma iniciativa da DPE-TO – Defensoria
Pública do Estado do Tocantins, por intermédio do Núcleo de Direitos Humanos e
Cejur – Centro de Estudos Jurídicos. O objetivo é contribuir para a promoção
dos direitos humanos, com especial ênfase para a sensibilização e
conscientização, por meio de uma aprendizagem que contribua com a formação
protagonistas na defesa e efetivação dos direitos e garantias fundamentais,
junto à comunidade em que estão inseridos, e com vistas à construção e
consolidação da cidadania ativa.

O público alvo não se limita à comunidade escolar, e visa promover a educação
em direitos humanos em outros espaços comunitários, tais como centros de
convivências, abrigos, instituições públicas e privadas e centros de
referência em assistência social, dentre outros.

Participe
Para ter acesso ao material, solicitar a assessoria ou a realização de
palestras, basta entrar em contato com o NDDH (3218-6953) e informar a
temática que será abordada. O núcleo especializado poderá ainda prestar apoio
logístico e elaborar roteiros com a adequação da metodologia adequada a cada
público alvo nas ações demandadas, além disso serão disponibilizados materiais
educativos e assessoria para realização das palestras.

Sua opinião é muito importante: