Negociação com bancos financiadores não avança e nova ponte em Porto não tem previsão

409

A ponte sobre o Rio Tocantins em Porto Nacional, a 66 km de Palmas, construída no ano de 1970, está condenada e parcialmente interditada desde setembro de 2011 devido ás más condições de sua estrutura que aparenta enormes rachaduras.

O Gazeta do Cerrado entrou em contato com a Secretaria de Infraestrutura (Seinf) para saber a respeito do inicio das obras, e em nota a secretaria respondeu que o Governo do Estado do Tocantins está negociando com bancos financiadores externos em busca dos recursos para a obra, mas que até o momento não há nenhuma resposta positiva. O empréstimo que está sendo pleiteado é de € 35.153.899,83 e a contrapartida do Estado de € 6.203.629,38. A nova ponte terá 1.488 metros de extensão, sendo 1.088 de vão e 400 de aterro.

A obra foi licitada ainda em 2014 pela Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto) com um custo inicial de R$ 101.328.272,57. A vencedora do certame foi a Rivoli S.A. – empresa questionada pelo Ministério Público. Assim que iniciados os trabalhos, o prazo para conclusão é de mais de dois anos.

A ponte é também uma preocupação da bancada federal do Estado que alocou recursos no orçamento da união para a obra. No entanto, não há previsão de início de construção da nova ponte, considerada uma das obras prioritárias do Tocantins atualmente.

Ponte de Porto Nacional
Ponte de Porto Nacional

Entenda o caso

A ponte liga o tráfego da TO-050, pelo trevo da TO-255 com a TO-070, até a BR-153. Desde 2011 somente veículos com carga inferior a 30 toneladas podem trafegar livremente sobre a local. Veículos com carga superior são obrigados a entrar na capital por Paraíso do Tocantins, tendo de rodar 100km a mais e atravessar o lago da hidrelétrica do lajeado pela Ponte da Amizade Fernando Henrique Cardoso.

Segundo o Estado, enquanto isso, a Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto) está monitorando o tráfego e fazendo o controle de peso na ponte para minimizar o impacto sobre a estrutura. No ano de 2014 foi aberta licitação para contratar a empresa que ficaria responsável pelos serviços de terraplanagem e pavimentação e uma solicitação de empréstimo para a execução da obra foi feito pelo governo do Estado junto ao banco italiano UniCredit.

No ano passado, os deputados estaduais aprovaram um empréstimo no valor de 36 milhões de euros (aproximadamente R$ 142 milhões) e após muitos protestos e discussões a construção ainda não teve inicio.

Na ultima sexta, 23, no auditório da Universidade Federal do Tocantins (UFT), representantes políticos de Porto Nacional defenderam a construção da ponte sobre o Rio Tocantins, próxima à cidade, como umas das principais prioridades do município. Ao final do debate foi gerado um relatório para ser apresentado a Comissão Especial de Estudo para o Novo Ordenamento Econômico, Administrativo, Social e Político do Estado (Cenovo), essa comissão foi criada para debater os gargalos do desenvolvimento do Estado e discutir as soluções junto com a sociedade. 

Texto: ( Colaborou Nielcem Fernandes- Gazeta do Cerrado)

Edição: Maria José Cotrim

Sua opinião é muito importante: