Região de Pedro Afonso demonstra potencial para produção de mandioca

122

mandioca

Na região de Pedro Afonso, já conhecida como uma das maiores produtoras de grãos do Tocantins – sobretudo a soja e o milho – agricultores estão otimistas com o cultivo da mandioca. Eles fazem parte do projeto Reniva (Rede de multiplicação e transferência de manivas-semente de mandioca com qualidade genética e fitossanitária), iniciativa implantada em 2014 pela Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa), Embrapa Pesca e Aquicultura, Embrapa Mandioca Fruticultura, Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária e outros parceiros.

Atualmente são atendidos 60 produtores dos municípios de Pedro Afonso, Bom Jesus do Tocantins e Santa Maria do Tocantins.

Quem primeiro iniciou a colheita, há cerca de um mês e meio, foi José Edgar de Castro Andrade. Ele aproveitou uma área de 2,5 hectares da Chácara Graciosa, em Pedro Afonso, para cultivar quatro variedades do tubérculo e, apesar de não ter concluído o trabalho, comemora os resultados e deve colher 25 toneladas por hectare.

Atualmente acontece a coleta da variedade Castela Branca, originária desta região, que está sendo usada para fazer farinha branca e de puba. Até esta semana já haviam sido produzidas 25 quartas – sendo que cada quarta equivale a 40 quilos e custa em média R$ 240,00. O alimento é vendido na própria propriedade ou por encomenda.

A produção de farinha emprega atualmente seis pessoas e todo o trabalho é feito de forma artesanal.

Mesmo não tendo contabilizado o investimento e o lucro que terá nesta safra de mandioca, José Edgar está satisfeito e planeja ampliar a área para oito hectares, novamente aproveitando um espaço inutilizado da propriedade que fica praticamente no perímetro urbano de Pedro Afonso.

O agricultor, que também produz soja e outros grãos, acredita no potencial da cultura que há séculos se adaptou bem à região. “Assustei, no bom sentido, com a produção de mandioca em uma área de areia e sem correção nenhuma. Se brincar a mandioca tem mais preço que a soja. Aqui temos um mercado promissor”, avaliou.

Formado em Engenharia Agrícola, José Edgar chamou atenção para a importância do projeto Reniva. “Aqui serve como um laboratório, está sendo realizada uma experiência que pode ser repassada para outros produtores, independente dele ser pequeno, médio ou grande”, completou o experiente produtor.

Da mandioca se aproveita tudo. Além de usar a raiz para produzir farinha, o agricultor torra a casca e usa como ração para porcos e galinhas criados na propriedade.

Projeto Reniva

Implantado em 2014, em uma área experimental com dois hectares na Fazenda São João, em Pedro Afonso, o Projeto Reniva estimula a produção de mandioca com ações de fomento, disseminação de tecnologias, capacitação de produtores, monitoramento e comercialização da produção.

O técnico agrícola e consultor do projeto Reniva em Pedro Afonson, Fernando Teixeira, informou que maioria dos produtores iniciará a colheita a partir do próximo mês de outubro.

No projeto, os materiais são melhorados geneticamente por pesquisadores da Embrapa Cruz das Almas (BA). Livres de pragas e doenças, as mudas são enviadas para Pedro Afonso, onde se testou a adaptação à região na área experimental. Depois, as manivas foram repassadas gratuitamente para produtores, principalmente da agricultura familiar, que cultivam terras em pequenas propriedades como chácaras e sítios.

O Reniva é uma iniciativa da Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa) em parceria com a Embrapa Pesca e Aquicultura, Embrapa Mandioca Fruticultura, Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária, Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), Prefeitura de Pedro Afonso e Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado do Tocantins (Ruraltins). (Ascom Naturatins)

Sua opinião é muito importante: