Sindepol comemora convocação de delegados e cita índices de violência

200

sindepol

Na última sexta-feira, 30, o Governador  Marcelo Miranda autorizou a posse imediata de mais 85 aprovados no concurso da Polícia Civil, desses 30 são delegados que devem atuar nas cidades do interior do estado. O comunicado foi feito em Araguaína-TO na solenidade de entrega de viaturas, armas, munições e coletes à prova de balas à Polícia Civil do Tocantins.

 

Para a Presidenta do Sindicato dos Delegados de Polícia Civil do Tocantins – Sindepol/TO, Cinthia Paula de Lima, o Tocantins necessita desses novos profissionais assim de melhores ferramentas de trabalho, “esses ajustes que o Governo vem fazendo é de grande importância, pois o estado registrou de 2005 a 2015 um crescimento no número de homicídios maior do que a média nacional, dando ao Tocantins a terceira colocação no ranking da violência nacional, o que nos causa grande preocupação a falta de políticas públicas em segurança, tendo em vista que são um conjunto de fatores que influenciam o combate a criminalidade”, afirma a presidenta.

 

Os 13 novos delegados da polícia civil que vão atuar na regional de Araguaína foram apresentados durante a solenidade, além desses também foram apresentados, 13 escrivães, 25 agentes de polícia e os agentes penitenciários já devolvidos à Secretaria de Estado da Segurança Pública.

 

Para Cinthia Paula de Lima,  Araguaína necessita de uma polícia de qualidade e que preste um excelente atendimento a comunidade, “Araguaína atualmente é uma das cidades polo além de ser geograficamente próximo à divisa de vários estados,  sendo hoje a que merece uma atenção diferenciada devido o alto índice de violência, por isso é muito importante o desenvolvimento de políticas públicas, o engajamento da sociedade, polícias mais preparadas e equipamentos de qualidade,” afirma Cinthia.

 

As armas e munições foram doadas pela Força de Segurança Nacional; e os veículos (furgões-cela) são frutos de convênio com o Departamento Penitenciário Nacional – Depen, ambos vinculados ao Ministério da Justiça e a Segurança Pública.

Sua opinião é muito importante: