Economia solidária: Artesãs de Lagoa do Tocantins apostam no Capim Dourado

101

“Há muito tempo não sentíamos tão esperançosos e confiantes na comercialização das nossas peças como no dia de hoje. Estamos revigoradas e acreditando muito”, assim destacou a presidente da Associação das Artesãs de Capim Dourado de Lagoa do Tocantins, Idelvani Oliveira, contente com a possível expansão das vendas das peças.

A afirmação dela ocorreu em ocasião da visita da Secretária do Trabalho e Assistência Social (Setas), Patrícia do Amaral, à cidade, localizada a 115km de Palmas, na tarde desta segunda-feira, 10.

capim dourado foto kleiber arantes6(2240x1488)

A titular da Pasta foi a campo para acompanhar as reuniões nos municípios que foram contemplados com o Programa Economia Solidária (Ecosol). As mesmas têm por objetivo esclarecer dúvidas sobre o mesmo e também eleger um representante que irá a Fortaleza (CE), em setembro, conhecer as experiências bem-sucedidas daquela cidade.

“Estes eventos representam mais um avanço do Governo do Estado na geração de emprego e renda. Queremos que todos os municípios selecionados explorem suas potencialidades locais e façam do Ecosol uma ferramenta que garanta avanços na renda familiar, por meio da venda dos produtos de seus cooperados”, disse.

Com uma população de quase quatro mil habitantes, na cidade foram identificadas cooperativas de apicultores e produtores rurais e associações de corte e costura e Capim Dourado aptas a trabalharem de forma unificadas, garantindo dessa forma linhas de crédito ofertadas pelos bancos conveniados, conforme antecipou o agente solidário e responsável por esse levantamento em Lagoa do Tocantins, Paulo Adriano Reis Santos.

“Fizemos uma capacitação pela Setas de 22 dias, e a partir daquele momento percebemos que centenas de famílias do Estado deixarão a miserabilidade para trás e terão um salto qualitativo de vida se elas estiveram unidas em defesa de um mesmo propósito”, justificou.

Esse propósito diz respeito ao interesse incomum do negócio que irão atuar, resultando na comercialização de produtos em qualquer área da cadeia produtiva como a de alimentos, roupas, alimentação, artesanato, etc.

Como responsável pela execução do Programa no Tocantins, a Setas dará todo o suporte necessário aos integrantes do Ecosol, indo desde orientação à aquisição do crédito, à venda dos produtos como também encontrar um local para o armazenamento deles.  Para além disso, a Secretaria já está com 90% dos equipamentos  no almoxarifado, incluindo mesas, cadeiras e barracas para serem entregues às cidades.

Visitas

A visita da equipe da Setas iniciou no dia 3 de julho, e se estenderá até 17 de julho, período em que prefeitos e secretários de Assistência Social e comunidade em geral, de todas as 17 cidades beneficiadas pelo Ecosol,  terão oportunidade de conversar com os profissionais da Secretaria.

A gerente de Inclusão Produtiva da Setas, Mara Moleto avaliou como positiva a recepção da comunidade à cerca do Programa. “A população tem participado e abraçado o Ecosol porque já percebeu que esta é uma forma simples e organizada para aumentar a renda familiar”, justificou.

Feira 2018

Após a conclusão das visitas e escolha de um representante para ir a Fortaleza, os agentes solidários passarão a executar o Programa, e em maio de 2018 já tem a previsão para acontecer uma Feira onde estarão expostos todos os produtos oriundos das ações do Ecosol. A mesma está prevista para acontecer em Ponte Alta.

Datas Visitas

3/07 – Paranã

4/07 – Taipas do Tocantins

6/07 – Rio da Conceição

7/07 – Porto Alegre do Tocantins

8/07 – Dianópolis

10/07 – Lagoa do Tocantins

11/07 – Santa Tereza do Tocantins

13/07 – Ponte Alta do Tocantins

14/07 – Mateiros

17/07 – Rio Sono

Texto/Fonte: Sonia Pugas/ Setas

Sua opinião é muito importante: