Jovem palmense lança série de ficção científica em HQ

841

Foto 1- Alvaro Maia

Brasil, ano 2026. Capitã Dinalva Santos é uma espécie de agente especial cooptada pela organização militar público-privada M45 para a realização de testes com tecnologia nuclear. Em uma projeção futurista, o país se encontra controlado pelo poder político conservador e aliado aos escusos interesses estrangeiros enquanto a insatisfeita protagonista lida com seus próprios dilemas morais.

É sobre este pano de fundo que se desenvolvem as aventuras de Setestrelo, HQ escrita e ilustrada por Álvaro Maia. Uma série em quadrinhos original que teve seu primeiro episódio lançado e disponibilizado online na noite do dia 7 de julho.

Com elementos das tradicionais histórias de heróis e com uma série de referências à nossa cultura popular, Setestrelo narra a gênese do que seria “a primeira super-heroína brasileira”. Ao mesmo tempo, nos apresenta um universo fictício totalmente novo, no qual o Brasil emerge como potência econômica e militar, ao passo que seus problemas sociais e ambientais são potencializados como consequência desta conjuntura.

Álvaro Maia, natural de Teresina, é quem assina esta obra que representa a sua estreia na produção de quadrinhos em série. Maia, que atualmente reside em Brasília, é um promissor artista plástico que se desenvolveu artisticamente no cenário de Palmas, Tocantins, o lugar onde produziu e divulgou a maioria dos seus trabalhos.

Dentre pintura em telas, ilustrações, exposições individuais e coletivas e mais recentemente o trabalho com quadrinhosundergroundSetestrelo surge agora, possivelmente, como o seu mais ambicioso trabalho e como fruto de um longo processo de amadurecimento artístico. “O maior desafio com certeza é fazer uma HQ que dialogue com gêneros tão clássicos como: super-heróis, terror, drama, realismo, fantasia, documental, e misticismo, e ainda faça reflexões sociais relevantes, dentro de uma realidade plausível e bem brasileira”, pondera o autor, que encontrou na ficção científica o trunfo narrativo e estético para este trabalho.

A história de Capitã Dinalva em Setestrelo é trabalho de um homem só, que realiza todas as etapas de criação, roteirização, ilustração, coloração e diagramação, o que torna o processo de criação mais lento, mas que propicia um controle maior do autor sobre o resultado final da obra. Inspirado em grandes nomes da narrativa desenhada como Alan Moore, Ed Brubaker, Richard Corben, além de diversas referências na cinematografia de ficção científica, Álvaro consegue imprimir em suas páginas cores e composições de forte apelo visual que prendem a atenção do leitor do início ao fim desta trama carregada de ironia, sarcasmo e questões sociais – resquícios dos seus trabalhos independentes anteriores.

“Conheceremos uma gama de personagens e como suas vidas estão entrelaçadas. Como suas tragédias são parecidas e como eles irão revidar”, revela o autor, que ainda prefere manter uma aura de mistério sobre os rumos desta saga e o futuro das suas personagens. O lançamento do próximo número da série está previsto para Outubro de 2017.

Sua opinião é muito importante: